Elementos regionais ganham destaque em decorações de ambientes

A regionalização traz influências de culturas específicas, revivendo as histórias e as memórias das pessoas. Arquiteta Tânia Fernandes mostra como reunir estilo, tendência e, principalmente, identidade

No Brasil, o modo de construir ou decorar uma casa varia muito de uma região para outra. Devido ao processo de colonização e condições climáticas, do Norte ao Sul, encontramos culturas bem diversas, e, com isso, vemos casas com diferentes tipos de móveis, adornos, cores, materiais, entre outros. Muitas pessoas gostam de retratar em suas moradias referências históricas e culturais, que fazem toda a diferença na hora de montar um ambiente.

Segundo a arquiteta Tânia Fernandes, especialista em regionalização, a utilização deste tipo de decoração vem da busca da memória afetiva que essas regiões trazem. “Em Brasília, por exemplo, essa tendência é muito forte, devido à cidade ter em sua população uma mistura de regiões, fazendo com que o cliente queira trazer um pouquinho da cidade natal para dentro de casa”, explica. E esses elementos podem ser inseridos de diversos modos. “Pode ser trabalhada a aplicação de itens, adornos, quadros, móveis ou qualquer outro fator que traga para dentro do ambiente o local que o cliente deseja”, exemplifica a arquiteta.

Tânia conta que, na hora de começar uma obra com influência regional, é feita uma reunião com o cliente para discutir esse lado afetivo que a região traz, e assim, fazer não só a decoração, mas toda a construção da obra baseada na cultura que o cliente traz ou aprecia.

“Se o cliente tem raiz mineira, geralmente sua cozinha será bem trabalhada. Agora, se o cliente é do Nordeste, a sua área de lazer, como a sala de estar e a de jantar, terá mais atenção. Para quem é da Região Sul, o importante costuma ser o conforto e aconchego, então focamos nos homes, quartos e banheiros. Com essa identificação feita, partimos para a decoração, sempre com uso de peças remetendo a cultura escolhida”, conta a arquiteta.

Confira algumas obras da Tânia Fernandes e conheça as possibilidades que uma decoração regional pode trazer:

Com estilo natural e rústico, este espaço tem como ponto forte o reaproveitamento: o sofá foi reestofado, os dois bancos foram de reaproveitamento de cachepô de planta e a mesa de centro é um móvel de 1928, restaurado, que vira uma mesa de oito lugares. A decoração é baseada no estilo country americano, com toques nordestinos.



Nesse ambiente, a decoração foi baseada num estilo rústico contemporâneo, com uso de madeira, trazendo a rusticidade ao ambiente com o toque, o brilho e o formato retilíneo contemporâneo, misturado com estilo indiano.


Neste quarto, o elemento principal para a decoração foi o estilo clássico cubista francês, com uso de capitonês, móveis rústicos com detalhes dourados e iluminação intimista, além de elementos naturais e uso de várias formas geométricas com movimento.


Este quarto foi inspirado no estilo vintage, com toques florais, que lembram a Região Sul, de onde eram os pais da moradora. Lá, como há muitas vinícolas, a arquiteta usou o floral em tecido na parede sobre a cama, remetendo a esses vinhedos, com folhagem curta e assimétricos.

Fonte: Redação.

Postagens mais visitadas deste blog