Educação ambiental e mais acesso aos parques de Brasília

Programa do governo lançado hoje em Taguatinga vai reunir ações de órgãos do Executivo para equipar e aumentar a frequência nas áreas verdes do DF

Foto: Olivar de Matos

O governo inaugurou nesta quinta-feira (4) o programa Brasília nos Parques, que levará ações de órgãos do Executivo a áreas verdes do Distrito Federal. O primeiro a receber as atividades e os serviços foi o Saburo Onoyama, em Taguatinga. 

A ideia é que Secretarias de Estado, como a de Saúde, de Cultura e do Esporte e Lazer, desenvolvam atividades nessas áreas. Para que a ocupação ocorra de forma eficiente, a pasta do Meio Ambiente consultou a comunidade para definir um cronograma de atividades e ações de infraestrutura. A próxima edição do Brasília nos Parques, ainda sem data definida, será no Parque Ecológico do Guará.

Durante todo o dia, os visitantes poderão participar das aulas de ginástica e de hidroginástica e praticar esportes nas atividades promovidas pela Secretaria do Esporte e Lazer. Biólogos da Fundação Jardim Zoológico de Brasília levaram animais empalhados típicos do Cerrado e estão à disposição dos interessados em conhecer um pouco mais sobre eles. Servidores do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) instalaram um estande com maquetes do projeto Ambiente com Ciência, em que demonstram como o desmatamento influencia as enchentes. As peças são emprestadas para escolas públicas e estimulam a consciência ambiental.

Incentivo
A aposentada Fátima Arilda, de 58 anos, foi com o sobrinho Pedro, de 8 anos, aproveitar o dia no parque. “Brasília precisa muito de incentivos como esse para que a gente possa aproveitar as áreas verdes com segurança e atividades esportivas”, disse, durante a aula de ginástica.

Ela se recorda da época em que o Saburo Onoyama era conhecido como um local deserto e perigoso. “Agora, é outra realidade; é importante atrair a população, mas é preciso manter o parque limpo e conservado.”

O dia não será somente de diversão. Mulheres vítimas de violência doméstica em busca de apoio jurídico têm ajuda da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. A pasta levou para o parque em Taguatinga uma unidade móvel de acolhimento à mulher, uma assistente social e uma advogada para fazer esclarecimentos sobre a Lei Maria da Penha. Já a Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo colaborou com emissão de documento de identidade.

Preservação
O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou do lançamento do programa na manhã de hoje ao lado de secretários de Estado e deputados distritais. "Nosso objetivo é promover a educação ambiental e fazer com que as pessoas tenham mais acesso aos parques de Brasília", resumiu durante a inauguração.

O chefe do Executivo aproveitou para reforçar o compromisso de transformar Brasília em referência de sustentabilidade. Para que isso ocorra, ele disse que tomará medidas como a desativação do lixão da Estrutural e a criação do aterro sanitário; a instalação de sistema de capitação de energia solar nas escolas públicas; e a proteção das nascentes e das áreas de preservação permanente.

O projeto Brasília nos Parques tem a participação de várias pastas do governo e é coordenado pela Secretaria do Meio Ambiente e pelo Ibram. “Precisamos nos juntar e refletir em como tornar a cidade sustentável; a promoção desse tipo de atividade, aliada ao cuidado dos parques, é viver a sustentabilidade na prática”, concluiu o secretário do Meio Ambiente, André Lima.

O vice-governador de Brasília, Renato Santana, ressaltou a importância da preservação das áreas verdes por meio de recolhimento de lixo e combate a invasões. “O governo de Brasília é um só, e é assim que estamos trabalhando, com todos os órgãos juntos.”

Termo de cooperação
As Secretarias do Meio Ambiente e de Educação assinarão um termo de cooperação para que professores desenvolvam ações em locais predefinidos. O objetivo é que Escolas da Natureza, modelo existente no Parque da Cidade, sejam reproduzidas em outras regiões como centros de referência em instrução ambiental.

Fazer com que a comunidade se interesse por frequentar os parques do DF é uma forma de aumentar o cuidado com a preservação e investir em infraestrutura. Para incentivar a participação da sociedade na gestão dos parques, definindo agendas e equipamentos necessários, a Secretaria do Meio Ambiente está mapeando instituições interessadas em participar dos conselhos das áreas verdes, que vão ter um diálogo constante com a pasta.

Por Olivar de Matos

Postagens mais visitadas deste blog